A Rede Sinodal

\r\n

A Rede Sinodal

\r\n

\r\n

\r\n

\r\n

\r\n

\r\n

O Sínodo Riograndense criou, em 1924, por ocasião do centenário da imigração alemã no Sul do Brasil, seu Departamento de Ensino. Ele atendia, na época, 413 escolas primárias. Em 1938, pouco antes da nacionalização, eram cerca de 510 escolas que existiam na sua área de abrangência.

\r\n

Em 1952, os diretores dos estabelecimentos de ensino secundário – que não eram atendidos pelo Departamento de Ensino do Sínodo Riograndense – fundaram o CDEME – Centro de Diretores de Estabelecimentos de Ensino Médio Evangélicos. O Centro passou a oferecer orientação aos Ginásios e Colégios e a incentivar e apoiar a formação de professores para esses estabelecimentos.

\r\n

O Conselho Sinodal de Educação, órgão criado em 1964 para coordenar o “Sistema Sinodal de Educação”, funcionou até 1969. Com a criação, em 1968, da IECLB – Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil – ele se extinguiu.

\r\n

A partir de 1971, a Região Eclesiástica IV que havia herdado o Departamento de Ensino do extinto Sínodo Riograndense, decidiu não mais manter financeiramente esse serviço. A partir daquele ano, o CDEE (ex-CDEME) – Centro de Diretores de Escolas Evangélicas – passou a manter financeiramente também esse Departamento.

\r\n

Em 1981 ocorreu a reestruturação – em vigor até hoje. O Centro de Diretores de Escolas Evangélicas transformou-se na Associação Evangélica de Educação. Foi novamente instituído o Conselho de Educação e instalada uma Direção Executiva, em substituição à Secretaria Executiva do CDEE e ao Departamento de Ensino. Esses três órgãos passaram a integrar o Departamento de Educação – IECLB. No ano 2000, o Departamento é renomeado para sua atual denominação: Rede Sinodal de Educação.

\r\n

A Rede Sinodal de Educação é, assim, o órgão responsável, na IECLB, pelo setor educacional escolar e universitário, prestando serviço às escolas vinculadas com Comunidades ou Paróquias Evangélicas. Ela é integrada por todas as 53 escolas filiadas e sua Assembléia Geral é o foro máximo de deliberação.

\r\n

A Rede coordena as atividades em comum das instituições sinodais na área de aperfeiçoamento profissional de professores e outros profissionais da escola, teatro escolar, música, esportes e formação de lideranças. Além disso, presta assessoria técnico-pedagógica e administrativa aos estabelecimentos de ensino.

\r\n\r\n

\r\n

\r\n

\r\n

\r\n

\r\n

\r\n

\r\n

\r\n

\r\n

Missão

\r\n

Promover a interação das instituições sinodais de educação a partir das diretrizes educacionais evangélico-luteranas.

\r\n\r\n

Visão

\r\n

Ser uma rede de excelência na formação humana e profissional e em todos os níveis e espaços de atuação.

\r\n\r\n

Princípios

\r\n

Autonomia

\r\n

Respeito às decisões de cada escola, pautadas nos princípios da fraternidade, do diálogo e da substantividade educativa luterana.

\r\n

Conhecimento

\r\n

Conhecimento para a promoção da autonomia e da liberdade como direito e compromisso.

\r\n

Ética

\r\n

Radicalidade nas ações educativas e relacionais em favor do bem comum.

\r\n

Busca da Excelência

\r\n

Execução qualificada das ações, independentemente do número de vezes que já as tenha executado, buscando a melhoria da educação e da formação humana.

\r\n

Humildade

\r\n

Manutenção da autenticidade, independentemente dos lugares e das pessoas com quem se relaciona.

\r\n

Abertura ao Novo

\r\n

Permanente disposição de incorporar o novo, evitando, todavia, os modismos e as imposições da sociedade.

\r\n

Solidariedade

\r\n

Tratamento com igualdade de importância a todos e intervenção de forma solidária e fraterna nos conflitos.

\r\n

Referencial Luterano

\r\n

Manutenção de uma conduta e de uma prática pautadas pelos quatro princípios expressos no documento da Confessionalidade Luterana, emitido pelo Conselho de Educação da IECLB.

\r\n\r\n

\r\n

\r\n

\r\n

\r\n